PALESTRA SOBRE TECNOLOGIA ASSISTIVA ENFATIZA A FALTA DE ACESSIBILIDADE PARA PCDS

acessibilidade

Palestra sobre Tecnologia Assistiva tem a participação de deficientes físicos, visuais, auditivos e membros da comunidade de Ceilândia para discutir acessibilidade.

Ontem, dia 04 de junho de 2019, a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB – Subseção de Ceilândia-DF, promoveu a palestra Acessibilidade e Tecnologias Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual com base na Lei Brasileira de Inclusão (Lei 13146/15).

A palestra foi ministrada pelo Advogado Willian Ferreira da Cunha, Diretor de Politicas de Promoção da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Direitos Humanos do DF, que é Deficiente Visual com baixa visão.

Durante a palestra, Willian enfatiza a qualidade do aparato legal brasileiro e das convenções internacionais que tratam dos direitos de acesso das pessoas com deficiência às tecnologias assistivas e como no Brasil tais tecnologias são caras.

Angelo Marcio – Assistente Social, Mazinho – Apresentador, Saulo – Advogado

Tecnologia Assistiva, como área de conhecimento, visa desenvolver práticas, produtos, métodos e ações que têm como objetivo facilitar, permitir a acessibilidade da pessoa com deficiência liberdade e autonomia independente do tipo e grau de deficiência. Segundo o Willian, “a tecnologia assistiva vem oferecer a pessoa com deficiência maior autonomia em suas atividades cotidianas” e deu como exemplo uma lupa que usa para leitura e uso do celular no dia-a-dia.
A palestra seguiu com a participação de profissionais do Direito, do Serviço Social e de outras pessoas com deficiências diversas como cadeirantes, deficientes visuais, auditivos que contaram com acompanhamento de interpretes de LIBRAS, paralisia cerebral e membros da comunidade local que trouxeram suas experiências pessoais do uso das tecnologias assistivas e principalmente das questões da falta de uma acessibilidade estrutural que cumpram as normas e cheguem a todas as localidades.

Por fim, os presentes e o palestrante chegaram a conclusão de que a junção das tecnologias com a pleno cumprimento da Lei Brasileira de Inclusão só serão possíveis com uma ação conjunta de toda a sociedade, e nela se inclui a pessoa com deficiência, evidentemente, com o poder público para poder transformar a acessibilidade em realidade.

Angelo Márcio.

Angelo Márcio

Written by 

Olá! Sou Angelo Márcio, sou Assistente Social, Técnico em Informática, Palestrante e desenvolvedor de diversos projetos voltados às questões das Pessoas com Deficiência.

Deixe um comentário