MANIFESTO PÚBLICO EXIGE PROVIDÊNCIAS SOBRE FALTA DE ACESSIBILIDADE EM NOTAS DE 200 REAIS

Nota de 200

“A Organização Nacional de Cegos do Brasil, ONCB, vem a público manifestar indignação e solicitar a adoção de providências por parte das autoridades constituídas, em virtude de a nova cédula de R$ 200 (duzentos reais) não dispor de requisitos mínimos de acessibilidade que facilitem a identificação por pessoas com deficiência visual.”

Segundo Alberto Pereira, presidente da entidade, “diferentemente das notas de 2, 5, 10, 20, 50 e 100 reais, que possuem tamanhos distintos, as novas cédulas chegam ao mercado com o mesmo tamanho das de R$ 20 (vinte reais) e apenas com uma marcação quase que imperceptível. Nesse sentido, entendemos que cumpre ao Banco Central:

1 – aclarar a razão de tal retrocesso, que impacta o cotidiano de parte dos sete milhões de Brasileiros cegos e com baixa visão;

2 – adotar as medidas pertinentes para garantir a acessibilidade na cédula de R$ 200 (duzentos reais);

3 – abrir canais permanentes de diálogo e construção coletiva do Banco Central com o segmento de pessoas com deficiência com o objetivo de ampliar a acessibilidade;

4 – considerar a diversidade humana.

Reiteramos que todas as decisões que envolvam a circulação de moeda devem estar em conformidade com os padrões existentes de acessibilidade e inclusão, sob pena de o Estado Brasileiro incorrer em um retrocesso social sem precedentes, passível de denúncia nos organismos internacionais”.

A circulação das notas sem as devidas marcações e tamanho distinto interfere diretamente na autonomia das pessoas com deficiência visual, gerando dificuldade de acessibilidade e vai contra o que dispõe a Convenção Internacional Sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e a Lei Brasileira de Inclusão.

Angelo Marcio

Com informações da ONCB

Confira o Manifesto Público sobre falta de acessibilidade em notas de R$200 em PDF

Angelo Márcio

Written by 

Olá! Sou Angelo Márcio, sou Assistente Social, Técnico em Informática, Palestrante e desenvolvedor de diversos projetos voltados às questões das Pessoas com Deficiência.

Deixe um comentário