O Cordão de Girassóis: Identificação Discreta de Deficiências Ocultas

Cordão de girassóis

O cordão de girassóis, símbolo internacional de identificação para pessoas com deficiências ocultas, teve sua origem em 2016, quando uma equipe do Aeroporto de Gatwick, em Londres, buscava maneiras de facilitar a vida de passageiros com deficiências ocultas e promover um ambiente mais acolhedor.
Inspirados pela resiliência e beleza dos girassóis, que se erguem em busca da luz solar, a equipe idealizou o cordão como um meio discreto de identificação. A iniciativa rapidamente ganhou força e se espalhou pelo mundo, tornando-se um símbolo universal de inclusão e apoio.

No Brasil, a história do cordão de girassol se entrelaça com a luta por reconhecimento e direitos das pessoas com deficiências ocultas. Em 2021, o Distrito Federal, por meio da Lei 6.842/2021, foi o primeiro a instituir o cordão como símbolo oficial de identificação, seguido por outros estados como: Minas Gerais (Lei 14.444/2022), Espirito Santo (Lei 11.488/2021) e mais recentemente São Paulo (17.897/2024).

Em 17 de julho de 2023, um marco histórico foi alcançado: na Lei Brasileira de Inclusão (LBI – Lei 13.146/2017) foi promulgada uma alteração que incluiu o Artigo 2º-A, reconhecendo o cordão de girassol como símbolo nacional de identificação para pessoas com deficiências ocultas.

Mas quem pode usar o cordão de girassóis?

O cordão é destinado a pessoas com deficiências ocultas, que são condições que afetam a tanto a parte motora quanto a mental, mas não são facilmente reconhecíveis externamente. Isso inclui:

  • Transtorno do Espectro Autista (TEA)
  • Transtornos de ansiedade
  • Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)
  • Transtornos de humor
  • Doenças crônicas
  • Problemas de saúde mental
  • Outras deficiências que não são visíveis externamente

É importante lembrar que o uso do cordão é opcional. Ninguém é obrigado a usá-lo, e a ausência do cordão não afeta o direito da pessoa ao exercício de seus direitos e garantias previstos em lei.

Onde encontrar o cordão de girassóis?

  • Órgãos públicos: geralmente, os órgãos públicos que atendem pessoas com deficiência oferecem o cordão de girassol gratuitamente.
  • Associações de pessoas com deficiência: algumas associações também distribuem o cordão para seus membros.
  • Lojas online: é possível comprar o cordão de girassol em algumas lojas online.
  • No Distrito Federal o cordão é fornecido de forma gratuita pelo Governo do Distrito Federal (GDF), para pessoas inscritas no Cadastro da Pessoa com Deficiência (CadPCD). É necessário o preenchimento de dados e envio de documentos pela internet e após analise dos documentos e aprovação por junta médica a pessoa terá direito ao cordão.

O que o cordão de girassol representa?

  • Identificação: Permite que pessoas com deficiências ocultas sejam reconhecidas e recebam o apoio e os serviços de que necessitam.
  • Atendimento prioritário: Garante acesso mais rápido a serviços em diversos ambientes, como filas, transportes públicos e eventos.
  • Redução de constrangimentos: Evita situações embaraçosas e constrangedoras para quem tem deficiência oculta.
  • Promoção da inclusão: Contribui para a criação de uma sociedade mais inclusiva e acolhedora para pessoas com deficiência.

E, por fim, pode-se firmar que o cordão de girassol é mais do que um simples acessório. É um símbolo de esperança, inclusão e conquista para milhões de pessoas em todo o mundo. Em suma, o cordão de girassóis não apenas identifica deficiências ocultas, mas também desafia estereótipos e promove uma cultura de inclusão.

Compartilhar:

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Posts Relacionados

Crie uma nova perspectiva para sua empresa.

Anuncie aqui! (1260px x 240px)
0
Would love your thoughts, please comment.x
Pular para o conteúdo